“É na vigília que se começa a sonhar”

29/03/2019 - 11:44 | Por: Circolare

Aconteceu nessa última quinta-feira, 28.03, a exposição “É na vigília que se começa a sonhar”, que lotou de gente bacana o espaço Di Pace, com curadoria de Paulo Gallina e participação dos artistas Anna Guilhermina, Gabriel Nehemy, Mariana Mattos, Michelle Rosset e Patricia Carparelli.

“É na Vigília que se começa a sonhar”

26/03/2019 - 20:00 | Por: Circolare

Imagem: Reprodução

A exposição “É na vigília que se começa a sonhar”, questiona o público a real distância entre se sonhar e estar acordado. Se alguns artistas insinuam paisagens para depois retirar sua materialidade com um pincel, outros sequer insinuam paisagem reconhecível porque através da interação entre sujeito e obra – a despeito das vontades – surgirão significados criados pelo contato. Artistas e curador compactuam a ideia de comunicação como contato de ideias invisíveis, porém essenciais, à vida humana. É apenas através das formas e das imagens, visíveis, diga-se de passagem, que se pode alcançar este lugar invisível onde as ideias tocam-se.

“É na vigília que se começa a sonhar”, apresenta trabalhos dos artistas: Anna Guilhermina, Gabriel Nehemy, Mariana Mattos, Michelle Rosset e Patricia Carparelli que não apenas falam de coisas diferentes como apresentam seus trabalhos nas mais variadas formas de mídia.

A exposição, que tem como curador Paulo Gallina,apresenta ao público pinturas e fotografias que contestam os materiais que se esperam desses suportes – talvez como os surrealistas do início do século passado. Todos os limites estão sendo testados nesta exposição, tanto das formas quanto dos conteúdos. Porque depois de arrebatado pelas imagens dos cinco artistas, cabe ao sujeito despir-se das normas que lhe foram ensinadas para descobrir sozinho como imagens podem tornar-se ideias e comunicação. Uma comunicação muito mais direta do que as palavras, mas muito menos explícita. Seja bem-vindo às vozes sem palavras.

Museu de Nova York dedicará exposição a instrumentos do rock and roll

13/03/2019 - 14:00 | Por: Circolare


O Museu Metropolitano (MET) de Nova York apresentará a partir do dia 8 de abril a maior exposição em um museu de arte dedicada totalmente aos icônicos instrumentos do rock and roll.

Batizada de “Play it Loud: Instruments of Rock and Roll”, a exposição contará com mais de 130 instrumentos de entre os anos 1939 e 2017, que foram tocados por lendários artistas como o cantor Chuck Berry, Eric Clapton, Bob Dylan, Jimi Hendrix, Lady Gaga, Elvis Presley, Prince, Bruce Springsteen e Ringo Starr, entre muitas outras estrelas.

MuBE

17/12/2018 - 13:46 | Por: Circolare

No sábado, dia 15, aconteceu a abertura da mostra “Burle Marx: arte, paisagem e botânica” no MuBE. O evento reuniu nomes como Paulo Mendes da Rocha, Cleusa Garfinkel, Olavo Setubal, Alexandre Roesler e outros.

Camila Yunes Guarita inaugura exposição “Fálico Mágico”

11/11/2018 - 14:10 | Por: Circolare

Abriu nesse sábado (10), a exposição “Fálico Mágico”, com curadoria de Camila Yunes Guarita. A mostra está em cartaz na Lamb Arts, galeria pop up inglesa de Lucinda Bellm, que aterrissou dessa vez em São Paulo, no Jardins, e ficará um ano no Brasil.

Arte/Formatto – Cid. Jardim

29/10/2018 - 15:14 | Por: Circolare

Na noite de ontem o Shopping Cidade Jardim promoveu a abertura da exposição Arte/Formatto, que busca trazer o debate da arte contemporânea por meio da mostra coletiva e, também, com palestras e oficinas. As sócias Gisele Rossi e Lica Pedrosa receberam convidados e os artistas que compõem o evento para celebrar a inauguração.

“Bob Wolfenson: Retratos”- exposição do fotógrafo com mais de 200 fotos

22/08/2018 - 14:00 | Por: Circolare

Imagem: Bob Wolfenson

Mais de 200 fotografias compõem uma mostra de Bob Wolfenson que abre nesta quinta-feira (23), para convidados e na sexta para o público, no Espaço Cultural Porto Seguro, no centro paulistano.

Com curadoria de Rodrigo Villela, a exposição é dividida em três salas que percorrem os 50 anos de carreira de um profissional já clicou celebridades para publicações jornalísticas e de moda, além de campanhas publicitárias.

Entre os retratados, nomes como Gisele Bündchen, Rita Lee, Fernanda Montenegro, Caetano Veloso, Tais Araújo, Marília Gabriela, Lázaro Ramos, Camila Pitanga, Anitta, Ludmila, Laerte, Lula, Fernando Henrique Cardoso, Paulo Maluf, Luiza Erundina, Dilma, Eduardo Suplicy, Pelé, Ronaldo e muitos outros.

Mostra sobre Renato Russo é prorrogada em São Paulo

23/01/2018 - 11:00 | Por: Circolare

A mostra sobre o líder do “Legião Urbana”, Renato Russo, foi prorrogada. A exposição – que conta com objetos pessoais, fotos, manuscritos, desenhos e cartas de fãs, ficará em cartaz no Museu da Imagem e do Som de São Paulo até o dia 18 de fevereiro.

“Renato Russo apresenta a vida e a obra deste ídolo do rock nacional, líder da banda Legião Urbana, e traz objetos pessoais, peças de vestuário, fotografias, discos, livros, manuscritos, instrumentos musicais, documentos escolares, desenhos, cartas de fãs, além de prêmios, fanzines, folhetos e impressos variados que percorrem toda a trajetória do artista.”

O MIS- Museu da Imagem e do Som fica na Av. Europa, 158 – Jardim Europa.

“Michael Jackson: On The Wall”

19/01/2018 - 15:00 | Por: Circolare

A dica é para quem está com viagem marcada para Londres. No próximo dia 28 de janeiro entra em cartaz na capital inglesa uma mostra que retrata a influência de Michael Jackson na arte contemporânea. O cantor, encontrado morto em junho de 2009, completaria 60 anos em 2018, e a mostra revelará toda a influência do maior ícone pop da história na moda, na música, nas artes.

“Michael Jackson é uma das figuras mais influentes do século 20 e seu legado continua no século 21. Sua importância é amplamente reconhecida quando se trata de música, dança, coreografia e moda, mas sua influência considerável na arte contemporânea é uma história incalculável.”

A mostra ficará em cartaz no National Portrait Gallery, em Londres, até o final de outubro deste ano.

Imperdível!

Exposição na Bélgica traz roupas de vítimas de estupro. O motivo?

15/01/2018 - 16:00 | Por: Circolare

Em 2016, uma pesquisa do Datafolha mostrou que mais de um terço dos brasileiros acredita que “mulheres que se dão ao respeito não são estupradas”. No mesmo estudo, 30% disseram que “mulher que usa roupas provocativas não pode reclamar se for estuprada”.

Uma exposição com o intuito de derrubar esse mito de que roupas provocativas são um dos motivos que leva a crimes de violência sexual, foi inaugurada na Bélgica. A mostra, batizada de “A culpa é minha?”, contém trajes que mulheres e meninas estavam usando no dia em que sofreram a violência sexual. Nada de blusa decotada, vestido curto…a exposição reúne calças e blusas discretas, pijamas e até camisetas largas.